• Dra.Andrea Pereira

Dietas e câncer de mama: O que fazer?


No dia 20 de abril de 2022 dei uma aula no Congresso Brasileiro de Mastologia sobre a importância da orientação nutricional no câncer de mama. Embora, muito se fale nas mídias e na internet sobre várias dietas e alimentos milagrosos, não existem evidências científicas que comprovam essas informações.

O câncer de mama é o primeiro entre as mulheres brasileiras, com exceção do câncer de pele, atingindo cerca de 66 mil mulheres por ano. Quando descoberto precocemente é potencialmente curável e, atualmente, temos excelentes tratamentos como quimioterapia, cirurgia e radioterapia. A parte nutricional e de atividade física regular complementa esse o tratamento.




A obesidade que atinge cerca de 30% das mulheres no Brasil, é um importante fator de risco para câncer de mama. Ela piora a resposta ao tratamento, causa mais complicações após a cirurgia, mais efeitos colaterais da quimioterapia e aumenta a chance de recidiva e de um segundo câncer.

O consumo de álcool também é um fator de risco, nas mulheres aumenta a probabilidade de câncer de mama por 2 vias: a de mutação gênica e a hormonal. Portanto, reduzir ao máximo o consumo de bebidas alcóolicas é fundamental, mesmo depois do final do tratamento.

Estudos mostram que níveis sanguíneos adequados de vitamina D ajudam no prognóstico e na saúde óssea para pacientes com câncer de mama. Então dosar essa vitamina ao diagnóstico e corrigir deficiências é importante. Não são necessárias, nem recomendado altas doses dessa vitamina, apenas a correção do seu nível sérico.

Quanto a dieta adequada não existe segredo, devemos consumir mais frutas, verduras e hortaliças, mais produtos integrais, menos sal, álcool e açucar, reduzir ao máximo o consumo de alimentos processados e ultraprocessados e limitar o consumo de carne vermelha a no máximo 500 g na semana. Não existe relação com o consumo de gluten e lactose e câncer de mama, portanto, eles devem ser retirados da alimentação apenas em casos de intolerância comprovada e alergias.

A prática regular de 150 a 450 min/semana de atividade física, associada a uma dieta saudável é fundamental na luta e na prevenção do câncer de mama. Faça seus exames todo ano, porque quem procura ACHA CEDO!