• Dra.Andrea Pereira

Chocolate: aliado ou vilão?


Embora o cacau tem muitos flavonoides, particularmente a epicatequina, substâncias que deixam os vasos sanguíneos mais elásticos e relaxados, melhorando o fluxo de sangue, através de sua ação no óxido nítrico, auxiliando na saúde cardiovascular, segundo pesquisas da Escola de Saúde Pública de Harvard. Além disso, com boa repercussão em diabetes, alguns tipos de câncer, memória e pressão arterial. Durante o processo industrial do cacau para transformá-lo em chocolate, parte dos flavonoides é removida, além de termos um acréscimo de gordura e açúcar, aumentando calorias.





O chocolate amargo contém de 50-90% de sólidos de cacau, quanto maior a porcentagem, maior a quantidade de flavonoides. O chocolate amargo contém mais flavonoides do que o chocolate ao leite, enquanto o chocolate branco não contém cacau nem flavonoides. Infelizmente, os fabricantes não incluem o teor de flavonoides em seus rótulos, portanto não é possível saber o teor exato de flavonoides.

Em média 20g de chocolate amargo (60% de cacau) contém 34mg de flavonoides, 20g de chocolate ao leite contém 14mg de flavonoides e 20g de chocolate branco não contém flavonoides. Nesse quesito, o chocolate amargo dá mais saciedade pelo sabor mais marcante, facilitando a tarefa de comer menos.

Existem alguns estudos falando da teobromina, um produto químico vegetal encontrado no cacau e no chá, tem um efeito positivo na pressão arterial, porém a sua quantidade é insuficiente no chocolate para esse benefício.

Como dito anteriormente, o processo de fabricação do chocolate envolve açúcar e gordura, portanto calorias. Dessa forma, como muitos doces, promove liberação de insulina que é o único hormônio que faz reserva de gordura, logo quando consumido regularmente e em grandes quantidades, ocasiona ganho de peso e de gordura corporal.

O chocolate pode ser consumido, mas em pequenas quantidades e não todos os dias. Aquela vontade de doce após as refeições pode ser saciada com uma fruta, sendo o chocolate ou o doce um alimento de exceção. Ele não é proibido, mas deve ser consumido com equilíbrio. Lembrando que o cacau é muito saudável, porém o processo industrial reduz flavonoides, acrescenta gordura, açúcar e calorias, logo não podemos estender pesquisas falando de substâncias do cacau ao chocolate.

Existe muito mais flavonoides em frutas e hortaliças do que no chocolate. Portanto, o recomendado é comer pequenas porções de chocolate, quadradinhos, ao invés de barras. O chocolate não é proibido, mas deve ser um alimento de exceção, dentro de uma alimentação saudável e equilibrada.


https://correioregionalsp.wordpress.com/2022/04/18/o-consumo-do-chocolate-tambem-esta-relacionado-a-memorias-afetivas-e-a-situacoes-prazerosas-desde-a-infancia/