• Dra. Andrea Pereira

Agrotóxicos, Alimentos Orgânicos E Prevenção Do Câncer.

Enquanto não obtivermos uma melhora da nossa política de controle de uso de agrotóxicos, uma boa opção é o uso de alimentos orgânicos, nos quais os agrotóxicos não são utilizados


Infelizmente, o Brasil é um dos líderes mundiais em consumo de agrotóxicos. Em 2010, segundo o Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Defesa Agrícola, foram jogados mais de um milhão de toneladas de venenos nas lavouras.

Só em 2011 foram usados 853 milhões de litros de agrotóxicos pulverizados nas lavouras, principalmente herbicidas, fungicidas e inseticidas, representando uma média de exposição ambiental/ocupacional/alimentar superior a 5 litros de agrotóxicos por habitante, quantidade altíssima e acima de todas as recomendações da Organização Mundial de Saúde. Segundo a ANVISA, 1/3 dos alimentos consumidos no Brasil estão contaminados por agrotóxicos e 28% ultrapassam o limite de resíduos ou apresentam ingredientes não autorizados. Além disso, 14 agrotóxicos vendidos aqui já estão proibidos em outros países devido a suspeita de causar danos neurológicos, mutação de genes e câncer.

Enquanto não obtivermos uma melhora da nossa política de controle de uso de agrotóxicos, uma boa opção é o uso de alimentos orgânicos, nos quais os agrotóxicos não são utilizados. Os orgânicos podem ser encontrados em feiras próprias, supermercados, hortifrútis e alguns produtores ainda os entregam em domicilio. No nosso país, um fator limitante para o uso de alimentos mais saudáveis é o custo, já que o preço dos orgânicos é maior do que o de não orgânicos (com uso de agrotóxicos). Mas, em termos de saúde e de risco de câncer, acredito que vale a pena investirmos nesse tipo de alimento. Fica apenas o alerta de que, embora, esses produtos não tenham agrotóxicos, eles devem ser lavados antes do consumo porque podem conter sujeiras e germes.

Fonte: http://www.einstein.br/blog/Paginas/post.aspx?post=1466

Autor: Dra. Andréa Pereira, nutróloga da oncologia do Einstein