• Dra. Andrea Pereira

Uso Da Suplementação De Cromo No Diabetes E No Ovário Policístico

Estudos científicos mostram que o cromo está associado ao aumento da sensibilidade à insulina. Isso ocorre porque ele liga-se a uma proteína intracelular, chamada apocromodulina, que se liga ao receptor da insulina, potencializando a captação de glicose.

Estudos científicos mostram que o cromo está associado ao aumento da sensibilidade à insulina. Isso ocorre porque ele liga-se a uma proteína intracelular, chamada apocromodulina, que se liga ao receptor da insulina, potencializando a captação de glicose.

Apesar desse mecanismo de ação comprovada, a suplementação do cromo em pacientes diabéticos não demonstrou nenhum benefício clínico e/ou os estudos foram inconclusivos.

No pré-diabetes, que é uma resistência à insulina em fase inicial, também não houve resultados cientificamente comprovados.

Geralmente, a resistência à insulina associa-se ao aumento da gordura visceral, o que na mulher aumenta a produção de hormônios masculinos, levando ao ovário policístico, irregularidade menstrual e aumento de pelos.

No caso do ovário policístico, os estudos mostram que o cromo pode ocasionar melhora do quadro clínico devido sua atuação na sensibilidade à insulina, porém é controverso.