top of page

Outubro Rosa: Relação entre obesidade e o risco de câncer de mama

Folha de Curitiba

Reportagem com a dra.Andrea Pereira


Cerca de 41 milhões de brasileiros acima de 18 anos têm obesidade. Em 2030, a previsão é de que esse número seja aproximadamente 47 milhões de pessoas.



O mês de outubro é dedicado à conscientização sobre o câncer de mama na campanha Outubro Rosa e é fundamental reforçar que a obesidade está diretamente ligada ao risco de desenvolver não apenas o câncer de mama, mas também outros 12 tipos de câncer. Durante este mês o foco é destacar essa conexão e promover a prevenção por meio de um estilo de vida saudável.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a obesidade é um fator de risco bem estabelecido para diversos tipos de câncer. Os tipos associados à obesidade, considerada uma doença crônica, incluem câncer de mama (principalmente após a menopausa), câncer de ovário,de endométrio, de cólon, de esôfago, de rim, de pâncreas, de fígado, de vesícula biliar, de tireoide, mieloma múltiplo, câncer de estômago e câncer de vesícula biliar.

A médica nutróloga Dra. Andrea Pereira, cofundadora da ONG Obesidade Brasil, explica a situação: “Diversos estudos apontam que o excesso de peso corporal está associado a um aumento no risco de desenvolver vários tipos de câncer, além de outros problemas de saúde como como pressão alta, diabetes, gota, asma, aumento de colesterol, dor de cabeça”, diz a especialista.

A conscientização sobre essa relação é muito importante entre as mulheres, já que o câncer de mama é um dos tipos mais comuns de câncer entre elas. Manter um peso corporal saudável, adotar uma dieta equilibrada e praticar atividades físicas regularmente são medidas eficazes para reduzir o risco não apenas do câncer de mama, mas também desses outros tipos de câncer associados à obesidade.

“Além de um peso saudável corporal, uma dieta balanceada que prioriza alimentos ricos em nutrientes, como frutas, legumes, grãos integrais e proteínas magras, e diminui o consumo de alimentos ultraprocessados e ricos em açúcar e gordura, a prática regular de atividade física, evitar o tabagismo e o consumo de álcool e fazer exames de rotina são práticas que ajudam na prevenção e tratamento dessas doenças. Lembrando que o autoexame é sempre necessário, em qualquer época do ano”, afirma a Dra. Andrea.

A cirurgia bariátrica também está entre os tratamentos para obesidade e, segundo estudos recentes, é um dos caminhos, inclusive, para a diminuição da hipertensão. “Com a cirurgia bariátrica conseguimos fazer o tratamento da obesidade aliados a outras medidas, e com o peso controlado, as chances do aparecimento de câncer e outras doenças também são reduzidas”, afirma o cirurgião bariátrico Dr. Carlos Schiavon, Coordenador de Ensino e Pesquisa do Núcleo de Obesidade e Cirurgia Bariátrica da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo e cofundador da ONG Obesidade Brasil.


https://folhadecuritiba.com.br/2023/10/20/outubro-rosa-relacao-entre-obesidade-e-o-risco-de-cancer-de-mama/

Comments


bottom of page