• Dra. Andrea Pereira

Câncer E Atividade Física

Todos os tipos de câncer ocorrem com menor freqüência em pessoas que praticam atividade física regular, como também as doenças degenerativas, cardíacas, imunológicas, etc.



Apesar de todos os avanços médicos e tecnológicos, essa ainda é uma doença cuja simples palavra assusta, muitos até se recusam a pronunciá-la. Por que? Porque ainda não temos um tratamento efetivo para todos os seus estágios e, também, porque sempre conhecemos alguém que sofreu desse mal e/ou morreu por sua causa.

O câncer é uma multiplicação desordenada de células, cujo início ocorre de repente, sem uma explicação única, existindo várias hipóteses para esse erro do organismo. E, quando existem várias explicações, geralmente é porque não sabemos a causa exata. Além disso, essa massa de células não se limita a crescer no seu órgão ou região de origem, ela se espelha pelo corpo através da corrente sanguínea ou linfática, e começa a crescer em outro lugar (metástase). À medida que cresce, ela comprime estruturas, prejudica o funcionamento do órgão sede e dos arredores. E, tudo isso, traz conseqüências terríveis para a pessoa, dependendo ainda mais de onde isso ocorre, demoramos mais para descobrir.

Quando descobrimos o câncer no início, qualquer um deles, temos uma chance enorme de cura, porém quando ele já está avançado e espalhou-se para outros locais, essa chance diminui muito, às vezes não podemos fazer nada, além de dar conforto ao nosso paciente, sem nenhuma esperança de cura. Isso é muito frustante para um médico, não poder curar.

E daí, o que podemos fazer? Há 2 grandes alternativas: diagnóstico precoce e prevenção. No caso do diagnóstico precoce, devemos fazer exames médicos periódicos, pedidos por algum médico de nossa confiança e, quando temos uma história familiar de câncer, esse cuidado deve ser redobrado, porque temos uma probabilidade a mais de ter essa doença. Lembre-se quanto mais cedo o diagnóstico, maior a chance de cura. Muitos pacientes dizem que não gostam de fazer muitos exames porque “quem procura acha” e, eu sempre digo, “quem procura acha CEDO”, quando podemos dar esperanças reais de cura.

Outros reclamam do incômodo gerado pelos exames e eu sempre digo, esse incômodo é muito menor do que ter essa doença avançada, tão triste e devastadora.

É possível prevenir essa doença? Sim, todos os trabalhos mostram que pessoas que levam uma vida saudável tem menos chance de desenvolver doenças, e o câncer não foge a essa regra. E o que é uma vida saudável?

Vida saudável é alimentar-se bem, com muitas frutas, verduras, legumes, fibras, uma proporção correta de carboidratos, gorduras e proteínas. Ter um peso adequado, porque a obesidade aumenta a chance de vários tipos de câncer. Evitar frituras, fast food, bebidas alcoólicas, drogas e cigarros. Há até pesquisas sobre suplementações de microelementos que ajudam na prevenção do câncer, por exemplo de zinco.

E, uma vida saudável, também inclui prática de exercícios físicos regulares. Não há como fugir, não adianta só comer direito ou só fazer exercício, precisamos dos dois para sermos saudáveis e prevenirmos doenças.

Todos os tipos de câncer ocorrem com menor freqüência em pessoas que praticam atividade física regular, como também as doenças degenerativas, cardíacas, imunológicas, etc. E o que é uma prática regular? Há várias definições e orientações, mas fazendo exercícios pelo menos 30 min, 3 a 4 vezes por semana, você já tem o benefício da prevenção. Não é muito tempo, dá perfeitamente para incluirmos na nossa rotina diária, basta acharmos um exercício que seja prazeroso para nós, afinal é para o resto da vida.

Enfim, o câncer depende de uma série de fatores, genéticos, imunológicos, ambientais, mas podemos mudar a nossa chance de desenvolvê-lo.

Não espere mais para mudar a sua rotina, inclua exercícios e melhore a sua alimentação, nunca é tarde para mudar, porém quanto mais demoramos, mais difícil a mudança. Mexa-se, melhore a sua qualidade de vida, torne-se uma pessoa mais saudável e feliz.